Homenageados pela Academia de Letras da Região de Sete Cidades-ALRESC – por José Alves Fortes Filho (categoria: ALRESC) II

Postado por Rita de Cássia ligado jun 4, 2014 em Academia de Letras da Região de Sete Cidades-ALRESC | 0 Comentários

 

O HISTÓRICO EMBATE DO JACARÉ E A MISSÃO PRIMORDIAL E ÉTICA DAS ACADEMIAS DE LETRAS


Por: JOSÉ Alves FORTES Filho


O dicionarista biográfico Adrião Neto, autor da única obra atual sobre literatura piauiense, utilizada em escolas públicas e privadas, foi um dos idealizadores do Diploma do Mérito Cultural Combatentes da Lagoa do Jacaré adotado pela presidência da Academia de Letras da Região de Sete Cidades (ALRESC) para homenagear personalidades que vem contribuindo para o desenvolvimento da educação e da cultura, além de chamar a atenção para o fato histórico sobre a nossa independência políitica e territorial.

A instituição do Diploma do Mérito Cultural Combatentes da Lagoa do Jacaré representa precipuamente o resgate histórico do embate entre tropas piauienses sediadas na Vila de Piracuruca e os soldados do governador português das Armas da Província do Piauí, major João José da Cunha Fidié que aqui aportou com a missão da Corte de Lisboa, no sentido de impedir a nossa adesão à independência do Brasil, proclamada a 7 de setembro de 1822 por dom Pedro I.

A ideia de Portugal, não se pode afirmar se com a concordância de Pedro I, era formar o Brasil do Norte, território que seria constituído pelas Províncias do Piauí, Maranhão e Grão-Pará.

O choque impetuoso entre patriotas libertários e soldados lusitanos de Fidié na Lagoa do Jacaré, em Piracuruca (PI) ocorreu três dias antes (10 de março de 1823) da Batalha do Jenipapo, na Vila de Campo Maior, ocorrida no dia 13 de março de 1823, quando o comandante português venceu a batalha mas perdeu a carga de guerra, fato que o obrigou a tomar o rumo de Estanhado (hoje cidade de União – PI) para, atravessando o rio Parnaíba, procurar abrigo no Morro das Tabocas, em Caxias, na Província do Maranhão, então sob domínio de Portugal.

Esse fato histórico em Piracuruca, no momento em que Fidié deixava Parnaíba, onde estivera aquartelado, para voltar para Oeiras, quando teve enfrentar a primeira resistência libertária piauiense no embate da Lagoa do Jacaré. Foi o que me fez observar o dicionarista biográfico e historiador Adrião Neto e me levou a fazer esse resgate histórico importante para a história do Piauí através de uma instituição cultural, a Academia de Letras da Região de Sete Cidades.

 

“Homenageados pela Academia de Letras da Região de 7 Cidades (ALRESC), indicados pelo presidente José Alves Fortes Filho, para receber o ‘Diploma Combatentes da Lagoa do Jacaré’ (embate contra a tropa do major português João José da Cunha Fidié, em Piracuruca)”.

Deixe um comentário:

8 + 19   é igual a   »
Deixe estes dois campos como estão:

IMPORTANTE!
Para enviar seu comentário é preciso informar a resposta ao cálculo acima.